O Estranho Mundo de Zé do Caixão – episódio O Fabricante de Bonecas

Dossiê Toni Cardi

 

O Estranho Mundo de Zé do Caixão (episódio “O Fabricante de Bonecas”)
Direção: José Mojica Marins
Brasil, 1968. 

Por Daniel Salomão Roque
 

Graças à sua premissa, que parece diretamente arrancada dos muitos gibis de terror que circulavam nas bancas da época, ou até mesmo dos filmes europeus de baixo orçamento dedicados ao gênero, O Fabricante de Bonecas é, dentre os três segmentos que compõem o longa O Estranho Mundo de Zé do Caixão, aquele em que menos se percebe o toque pessoal de Mojica. Nem por isso o episódio deixa de ser impactante, que fique bem claro: temos aqui uma parábola acerca da violência como corruptora do universo infantil. 

Toni Cardi está entre os delinqüentes (liderados por Luis Sergio Person!) que decidem estuprar as filhas de um velho artesão e acabam por descobrir, da pior forma possível, o segredo por trás da expressividade dos olhos de suas bonecas. Estes rapazes são legítimos representantes do lado negro da Jovem Guarda: imersos no iê-iê-iê e entediados com a mesmice do cotidiano burguês, acabam encontrando no espancamento de idosos e na violação de garotas indefesas uma válvula de escape muito mais eficiente que as dancinhas e paixonites ingênuas. E assim, movidos por instintos sombrios e ignorantes acerca do futuro que os aguarda, eles seguem perpetrando seus atos de covardia, enquanto são observados por nós – e também pelo olhar impassível das bonecas e santos católicos. 

Anúncios