Real Desejo

Dossiê Júlio Calasso


Real Desejo
Direção: Augusto Sevá
Brasil, 1985.

Por Adilson Marcelino

Em Real Desejo, Ana Maria Magalhães é uma atriz de novela de sucesso em crise com seu amante, Paulo César Peréio, também astro na produção televisiva. Se no folhetim parece tudo correr a mil maravilhas e o público torce pelo casal, o oposto se dá na vida real. Esse descompasso lançara a diva em uma jornada de busca e mil interrogações sobre sua vida.

Real Desejo é mais um filme sobre relacionamentos em crise? Sim. Mas a diferença aqui se dá pelos talentos envolvidos. Magalhães e Peréio são atores cinematográficos de fato, e a direção segura de Augusto Sevá, tanto de atores como de cena, não nos deixa esquecer disso. Há também a fotografia de José Roberto Eliezer e a montagem de José Carone Jr, que nos apresenta uma São Paulo quase como uma personagem. Por fim, há ainda a presença de luxo de José Miguel Wisnik na trilha sonora.

Nem tudo funciona nesse Real Desejo e há momentos e desfechos de situações que jogam o filme para baixo. Mas há momentos elegantes e de charme nesse filme um tanto obscuro e o único longa de ficção de Sevá – ele dirigiu o documentário A Caminho das Índias (1982 – com Isa Castro) e desempenhou funções técnicas em outros filmes.

Real Desejo tem o mérito também de filmar o talento e a beleza madura de Ana Maria Magalhães, que depois vai privilegiar a carreira de cineasta. Ainda no elenco, que tem nosso homenageado Júlio Calasso, destaque também para a personalíssima Isa Kolpeman.

Anúncios