Os Bons Tempos Voltaram: Vamos Gozar Outra Vez – episódio Primeiro de Abril

Especial John Herbert

Os Bons Tempos Voltaram: Vamos Gozar Outra Vez  – episódio Primeiro de Abril
Direção: John Herbert
Brasil, 1984.

Por Matheus Trunk

Cinema, teatro, televisão. O ator e diretor John Herbert (1929-2011) foi um profissional multimídia. Dentro da sétima arte, sua presença foi constante em todos os gêneros. Participou de chanchadas no Rio de Janeiro e de produções do cinema industrial paulista. Chegou a estar presente em filmes que flertavam com o Cinema Novo (Bebel, Garota Propaganda de Maurice Capovilla), Cinema Marginal (Capitão Bandeira Contra o Doutor Moura Brasil de Antônio Calmon), ciclo do cangaço e diversas pornochanchadas. Trabalhou ao mesmo tempo com estrelas populares como Mazzaropi e realizadores autorais como Walter Hugo Khouri.

Herbert tentou a direção em poucas oportunidades. Em 1984, aceitou o convite do amigo Aníbal Massaini Neto para realizar um episódio. As salas nacionais já estavam entupidas pelas películas de sexo explícito. Mesmo assim, a produtora Cinedistri resolveu bancar uma comédia erótica em dois episódios. O primeiro coube ao realizador carioca Ivan Cardoso. Já o segundo, Primeiro de Abril, ficou sob a direção de John Herbert.

A trama do episódio gira em torno do golpe militar ocorrido em 31 de março de 1964. Justamente nesse dia é o aniversário do playboy Edinho (Marcos Frota). O jovem arma a maior festa em sua mansão. O rapaz não resiste à beleza de sua prima revolucionária (Kátia Lopes) e da bela namorada (Vanessa Alves). Embora o argumento pareça sério, Herbert aborda os acontecimentos históricos de maneira jocosa. O episódio parece tirado das comédias de Mário Monicelli. O destaque fica por conta do gigante Dionísio Azevedo, que faz o avô de Edinho, Aldemiro, um senhor reacionário que demonstra seu apoio irrestrito ao golpe. Não admite a pouca vergonha da mocidade.

Esta seria a última investida de Herbert na direção cinematográfica. Seu talento estaria presente em mais alguns longas-metragens (somente como ator), peças teatrais e novelas. Com típico físico de galã conservado graças à natação, John Herbert foi um dos maiores nomes da TV brasileira. Autêntico bon vivant, casou inúmeras vezes e era palmeirense convicto. Sua morte encerrou uma trajetória brilhante de um homem dedicado às artes brasileiras.

Anúncios