Perfil – Khouri e Lemmertz

Dossiê de Aniversário: O Autor e a Musa – Walter Hugo Khouri e Lilian Lemmertz

Por Adilson Marcelino

 

2011 – 82 anos de nascimento de Walter Hugo Khouri e 25 anos de morte de Lilian Lemmertz

Walter Hugo Khouri nasceu em 21 de outubro de 1929, em São Paulo, e faleceu em 27 de junho de 2003, na mesma cidade. É autor de uma das obras mais importantes e coerentes do cinema brasileiro, formada por 26 filmes – 23 longas, dois episódios e uma direção de cenas ao vivo de uma animação. A estreia como cineasta se deu em 1954 com O Gigante de Pedra, e já no segundo filme, Estranho Encontro (1958), já demonstrava perfeito domínio da direção de cena e de atores. A consagração se deu com seu sexto filme, Noite Vazia (1964).

Dono de um olhar originalíssimo, sua obra é marcada por personagens urbanos mergulhados em angústias, sendo o principal deles o rico e egocêntrico empresário Marcelo, que procura na obsessão pelo sexo a saída para seu vazio existencial. Perfeito cronista da burguesia, outra marca de seu cinema é a presença de um elenco feminino formado por ótimas e belas atrizes, em que se destacam Lilian Lemmertz, sua musa maior, e outras como Selma Egrei, Monique Lafond, Nicole Puzzi, Kate Hansen, Sandra Bréa e Vera Fischer. O Corpo Ardente (1966), As Amorosas (1968), O Palácio dos Anjos (1970), As Deusas (1972), O Anjo da Noite (1974), O Desejo (1975), Paixão e Sombras (1977), Eros, O Deus do Amor (1981),  Amor Estranho Amor (1982) e Eu (1987) são os seus filmes mais famosos, além, claro, de Noite Vazia.

Lilian Lemmertz nasceu em 15 de junho de 1937, em Porto Alegre, Rio Grande do Sul, e faleceu em 5 de junho de 1986, no Rio de Janeiro. Começou a carreira artística na terra natal, onde fez sucesso como manequim e atriz de teatro – a estreia se dá em 1956 com o espetáculo amador À Margem da Vida, dirigida por Antonio Abujamra. A consagração nacional veio com a mudança para São Paulo, em 1963, já casada com o ator Linneu Dias e com a filha, também futura atriz, Julia Lemmertz. A estreia profissional nos palcos se dá logo na chegada com o espetáculo Onde Canta o Sabiá, direção de Hermilo Borba, a convite de Walmor Chagas e Cacilda Becker. Daí para frente foram vários espetáculos de sucesso – e também prêmios -, como Quem Tem Medo de Virgínia Wolf, Dois na Gangorra, Roda Cor de Roda, Esperando Godot.

A estreia no cinema foi pelas mãos de Walter Hugo Khouri, que ficou fascinado com a atriz e a queria para estrelar, ao lado de Norma Bengell, sua obra-prima Noite Vazia (1964). Porém, sentindo-se pouco preparada, Lilian recusou, sendo substituída por Odete Lara. Só que Khouri não desistiu de tê-la em seu elenco, escalando-a para O Corpo Ardente (1966), iniciando aí uma longa parceria e fazendo dela sua principal musa. Os dois filmariam juntos oito vezes, além de uma dublagem, em filmes importantes e em atuações magistrais: As Amorosas (1968), As Deusas (1972), O Último Êxtase (1973), O Anjo da Noite (1974), O Desejo (1975), Paixão e Sombras (1977), Eros, O Deus do Amor (1981) – em O Palácio dos Anjos, dubla a protagonista francesa Geneviéve Grad. Lilian Lemmertz participou de 22 filmes em sua carreira, em dois fazendo dublagem, sendo os principais, além dos de Khouri: Cordélia, Cordélia… (1971), de Rodolfo Nanni; Aleluia Gretchen (1976), de Sylvio Back; e Lição de Amor (1978), de Eduardo Escorel.

 

Anúncios