Noite Vazia

Dossiê de Aniversário – O Autor  – Walter Hugo Khouri

 

Noite Vazia
Direção: Walter Hugo Khouri
Brasil, 1964.

Por Edu Jancz 

Realizado em 1964 (data emblemática para o Brasil), Noite Vazia revela um diretor, Walter Hugo Khouri, completo,  com estilo próprio.

A narrativa de Noite Vazia foge ao realismo do Cinema Novo. Bom? Mau? É Walter Hugo Khouri. O seu contar se assemelha ao de Michelangelo Antonioni. O seu tempo (timing) é muito particular. Bom para a diversidade do cinema brasileiro.

O enredo. Luis (Mario Benvenuti) -casado, rico, infeliz no casamento e com a vida-  encontra Nelson (Gabriele Tinti) – saindo de um caso, inseguro, depressivo – , e os dois saem pela noite em busca de aventuras, mulheres para uma noite que promete farras. Uma noite cheia. Encontram Mara (Odete Lara) e Cristine (Norma Bengell), duas escorts, ou garotas de programa de luxo.

A noite cheia acontece no apartamento que Luis tem para o “abate de suas coelhinhas”. Elas são designadas numericamente. Já deu para perceber a cabeça e personalidade do nosso Luis. Mara e Cristine recebem, respectivamente, os números 367 e 368. Mas nem tudo será tão simples.

Luis é o dominador entre os homens. Mara é a dominadora entre as mulheres. Entre os dois um duelo de força nasce e termina naquela noite. Sem vencedores. Só rancores. Os submissos, Nelson e Cristine, vão descobrir como unir forças para ver uma luz em suas vidas. Um momento de prazer, de amor. Amor, algo que os dois não sentem há muito tempo.  E algumas respostas para os seus dias vazios.

Noite Vazia é um filme honesto sexualmente. Na época (triste e negra ditadura), teve problemas com a censura. Quem não teve? E certamente alguns moralistas o classificaram como um filme forte, ousado. É apenas um filme correto. Afinal, são dois casais que escolhem uma noite para fazer sexo, sem limites. Até estarem satisfeitos.

É importante ver Noite Vazia como um filme de Walter Hugo Khouri. O tempo em sua narrativa é um elemento fundamental. É necessário respeitá-lo.  Dúvidas e incertezas dos personagens recebem primeiros planos longos, que realçam seus sentimentos. O silêncio constante dos personagens Nelson e Cristine  é visto por uma câmera contemplativa e paciente, que dá ao espectador o tempo necessários para ler todas as indagações, vontade de desistir até da vida, esperanças.

 

BASTIDORES –  Conversei com o mestre e amigo Alfredo Sternheim, que foi assistente de direção de Walter Hugo Khoury em Noite Vazia. Ele me contou informações importantes sobre os bastidores que divido com vocês:

“Lilian Lemmertz foi cogitada para o papel de Odete Lara, mas Lilian não tinha ainda nenhuma experiência de cinema. Eu e o Khouri ficamos deslumbrados com o seu talento no palco. Ela, depois, recusou, porque se considerava imatura para tamanha responsabilidade. Mas pediu licença para ir à filmagem. E foi com a filhinha  Julia Lemmertz , com uns 2 anos.

Francisco di Franco já estava acertado para fazer o segundo personagem masculino, mas  Khouri resolveu escalar o Gabriele Tinti, então marido de Norma. Ela vinha de uma brilhante carreira na Itália (filmes de Lattuada, Montaldo e outros).

Outro que debutou em Noite Vazia como ator foi David Cardoso. Ele foi recomendado pelo Glauco Laurelli como continuísta, mas no meio da filmagem, quando viu que existia um personagem que podia interpretar, pediu a mim e a Norma para “fazer” a cabeça do Khouri. Deu certo o lobby.

Noite Vazia chegou a ser proibido pela censura, mas depois conseguiram liberar sem cortes.”

 

Anúncios