Carta ao Leitor

Apresentamos aos nossos distintíssimos leitores a Zingu # 54.

Nesta edição, escalamos dois nomes do nosso cinema de estilos completamente diversos, mas igualmente interessantes e importantes: o provocador ator, cineasta, roteirista e produtor Júlio Calasso; e o galã e ator talentosíssimo Francisco Di Franco.

Júlio Calasso é o dossiê do mês. Gabriel Carneiro nos apresenta, em ótima e longa entrevista, a trajetória de Calasso, que nos fala sobre sua infância, formação, início da carreira, Cinema Marginal, filmes em que atuou, o longa que dirigiu, O Longo Caminho da Morte, e muito mais. Novidade desta edição: você também poderá assistir trechos da entrevista, no nosso canal do Youtube.

Tem também no dossiê, críticas de oito de seus filmes, inclusive o raro que dirigiu, mais filmografia.

Já Francisco Di Franco é o especial do mês. Ator que começou no cinema nos filmes de Mazzaropi, marcou época na TV Tupi com o seriado Jerônimo, O Herói do Sertão, e construiu carreira cinematográfica marcante, que vai dos anos 1960 aos 2000. Di Franco foi dirigido por cineastas do quilate de Walter Hugo Khouri, Rodolfo Nani, Sérgio Ricardo, Anselmo Duarte, Roberto Santos, Osvaldo de Oliveira, Fauzi Mansur, e muitos outros.

No especial, temos texto perfil, críticas de 10 filmes e filmografia.

Já nas colunas tradicionais temos o cineasta e crítico Alfredo Sternheim respondendo a coluna O Que É Cinema Brasileiro?; o mítico O Bandido da Luz Vermelha como o Filme-Farol do crítico Marcelo Miranda; a deusa Natalie Wood no Musas Eternas; a paulista Nádia Destro no Inventário Grandes Musas da Boca; e a despedida de Reflexos em Película.

E é também em tom despedida que termino essa minha última Carta ao Leitor da nossa grandiosa e amada Zingu!

Como escrevi na minha primeira Carta ao Leitor como Editor-Chefe, a primeira vez que participei da Zingu! foi como colaborador em 2008, passando em 2009 para a função de redator e contribuindo com textos para os diferentes conteúdos: dossiês e especiais, além da coluna Inventário Grandes Musas da Boca. No segundo semestre de 2010, tornei-me editor-chefe e tive a alegria, e a responsabilidade, de estar à frente de uma equipe fabulosa e verdadeiramente amante do cinema brasileiro.

Tenho que deixar a Zingu! devido a outros compromissos assumidos, mas jamais deixarei de tê-la no coração e na minha cabeceira como leitura obrigatória e indispensável.

Agradeço a todos da revista e a todos os leitores por esses 5 anos de grandes alegrias e aprendizado.

Adilson Marcelino
Editor-Chefe da Zingu!


Anúncios