O Bem Dotado – O Homem de Itu

Dossiê José Miziara

O Bem Dotado- O Homem de Itu
Direção: José Miziara.
Brasil, 1978.

Por Matheus Trunk

A pornochanchada foi o gênero cinematográfico que dominou as salas brasileiras durante o final dos anos 1970 e início dos 80. Algumas dessas produções tornaram-se conhecidas por diferentes gerações de cinéfilos. Tornaram-se inclusive cults e são referência de uma época do Brasil. Com toda certeza, O Bem Dotado- O Homem de Itu é um desses filmes.

O personagem central da película é Lírio (Nuno Leal Maia no papel mais conhecido de sua carreira). Órfão ingênuo criado pelo padre Belmiro, o jovem é um moço simples que não tem nenhuma malícia. Duas coroas milionárias (Consuelo Leandro e Maria Luiza Castelli em atuações excepcionais) descobrem a avantajada anatomia sexual do rapaz. Elas atribuem isso ao garoto ser natural de Itu, cidade do interior de São Paulo conhecida por suas coisas gigantes.

Levado para São Paulo, Lírio fica trabalhando como mordomo na casa de uma das donas. Com o tempo, ele acaba chamando a atenção de diversas beldades, como a arrumadeira Nice (a oriental Suely Aoki) e a cozinheira Pedra (Esmeralda Barros). Todas ficam loucas quando descobrem o tamanho do órgão sexual do protagonista. O jovem de Itu ainda viveria durante o filme intensas aventuras amorosas com outras deusas da comédia erótica como Aldine Müller, Marlene França e Helena Ramos.

Mas o melhor desta engraçadíssima comédia são as diversas trapalhadas em que Lírio acaba se metendo. Muitas com o motorista e pretenso samurai Kimura, que arma uma grande perseguição ao garoto caipira. O espectador mais atencioso pode prestar atenção em participações especiais de gigantes do humorismo da Boca, como Teobaldo, Heitor Gaiotti e Clayton Silva.

Com produção bastante caprichada para os padrões da época, O Bem Dotado é realmente um dos grandes filmes da pornochanchada. José Miziara faz um eficiente trabalho de artesão e uma comédia bastante divertida. A direção de fotografia fica com Osvaldo “Carcaça” Oliveira, técnico importante do cinema paulista e homem de confiança do produtor Aníbal Massaini Neto. O montador Roberto Leme é um outro importante personagem da Boca do Lixo bastante subestimado. Apesar de ter trabalhado em filmes importantes como O Marginal, de Carlos Manga, ele terminou sua carreira trabalhando com diretores do segundo escalão da Rua do Triunfo.

Diversos profissionais com longas carreiras no cinema afirmam que o verdadeiro homem de Itu era um consagrado cineasta de Salto. Verdade ou não, O Bem Dotado continua sendo um grande clássico da Boca do Lixo.

Anúncios