Musas Eternas

Claudia Magno

Por Adilson Marcelino

Se você era jovem no início dos anos 1980, provavelmente engrossou as bilheterias de Menino do Rio, o filme-solar de Antonio Calmon.

Se você assistiu ao filme, certamente cantarolou e saracoteou ao som dos hits De Repente, Califórnia e Garota Dourada.

E se foi um dos que se divertiram na plateia, com certeza jamais esqueceu a beleza estonteante e as coxas grossas da atriz Claudia Magno.

Paixão arrebatadora do surfista Valente de André de Biase, a Patrícia de Claudia Magno teria destino certo de Patricinha a dondoca se não cruzasse com a turma de praia dele, que era formada por Evandro Mesquita, Guto Graça Mello, Cissa Guimarães, Tânia Bôscoli, Sérgio Mallandro, Nina de Pádua e Claudia Ohana.

Foi assim que conhecemos a bela Claudia Magno, nascida no Rio de Janeiro no dia 10 de fevereiro de 1958.

Logo a seguir, ela foi recrutada para a televisão, onde bateu ponto em algumas novelas: Final Feliz (1982), de Ivani Ribeiro, e Tieta (1989), de Aguinaldo Silva, Ana Maria Moretzsohn e Ricardo Linhares foram alguns destaques.

Na telinha, a atriz dividiu a carreira entre a Globo e a Manchete, mas é o cinema que parecia ser seu habitat natural, pois resplandecia, ainda que tenha sido, infelizmente, pouco recrutada.

Seu segundo filme foi novamente com Calmon, afinal Garota Dourada era a continuação de Menino do Rio, mas só que aqui o resultado deu xabu. Garota Dourada é fraquíssimo, o único ponto baixo do diretor – que depois daí abandonaria a carreira de cineasta – e não chegou nem aos pés do primeiro rebento.

Novamente, André de Biasi dá vida ao surfista Valente, mas aqui a amada da vez é Bianca Byngton. E ainda que Claudia Magno volta a encarnar Patricia, aqui ela é só um amor do passado.

Claudia Magno voltaria apenas mais uma vez às telas, e desta vez sob a lente de um dos mestres da Boca do Lixo: o cineasta John Doo.

O filme, o último dele e dela, é Presença de Marisa, de 1988, em que ela faz a protagonista ao lado de Joel Barcellos. Por seu desempenho, Claudia recebeu o prêmio de Melhor Atriz no XXI Festival de Cinema de Brasília.

Foi a última aparição dela no cinema, mas continuou como atriz na TV – o último personagem foi Josefina na novela global Sonho Meu (1993/94), de Marcílio Moraes.

E foi em 1994 que uma tragédia se abateu sobre a vida da jovem atriz, que faleceu no dia 5 de janeiro de 1994 em decorrência do vírus da Aids.

Filmografia

Menino do Rio, Antonio Calmon, 1982
Garota Dourada, Antonio Calmon, 1984
Presença de Marisa, John Doo, 1988

About these ads